FILIA-TE NO PCTP/MRPP! LUTA PELO SOCIALISMO E PELO COMUNISMO! CONSTRÓI UM FUTURO MELHOR PARA TODOS! ENVIA O TEU CONTACTO PARA porto@pctpmrpp.org
Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

Opor barreira ao avanço da contra-revolução!

Do Com. Norte da linha sindical LUTA - UNIDADE - VITÓRIA recebemos o comunicado de título "Opor  barreira ao avanço da contra-revolução", distribuído esta tarde no Porto que reproduzimos na íntegra:

Temos sido bombardeados com os chamados “números positivos da economia portuguesa” propagandeados pelo governo e seus agentes, mascarados de economistas, analistas e outros especialistas que enxameiam o espaço público informativo. O que não nos é expli­cado é como foram obtidos esses tão “maravilhosos” números.

Por exemplo os do desemprego foram obtidos assim: primeiro suspendeu-se todas as acções de formação e todos os “programas” (que o anterior governo também utilizava para diminuir o desemprego) mandando para os números do desemprego algumas dezenas de milhares de desempregados; depois foi o “espanto” com esses núme­ros (aqui é que está a novidade do método do embuste e que enredou a oposição); a seguir o aproveitamento da sazonalidade para iniciar o processo de “diminuição” do desemprego; e finalmente a “criação” criativa de empregos, o reinício gradual dos cursos de formação, está­gios e programas ocupacionais que anteriormente haviam sido suspensos a um ritmo que garante a diminuição mensal da taxa de desemprego 1 ou 2 décimas. Outro exemplo claro e semelhante em tudo a este é o de como foram obtidos os números do crescimento da economia: aqui o principal instrumento usado foi a gestão das verbas do QREN não só as destinadas ao desenvolvimento do “potencial humano” (os dinheiros gastos na formação, nos programas ocupacio­nais e nos estágios, também são PIB) como todas as outras. 

Estes métodos pouco sérios são repugnantes para o cidadão quando os compreende, mas não são novidade. Todos os governos anteriores o fizeram. A diferença está no requinte e na escala sem precedentes em que estão a ser usados e nos meios de propaganda empregues, meios que apenas foram ensaiados na época de Sócrates e que agora estão a ser empregues em pleno: os meios internacionais.

Claro está que a utilização destes métodos e destes meios de­monstra o desespero em que se encontram o governo e os seus apoi­antes e evidencia o amo imperialista a quem servilmente se submetem.

É esse mesmo desespero que faz reunir os partidos do governo e do presidente, PSD e CDS, numa única lista às próximas eleições europeias.

Mas o que está por detrás destes jogos que aparecem à superfície é bem mais profundo, é o avanço da contra-revolução, não só no nosso país, como na Europa e em todo o mundo. A superação burguesa da crise do capitalismo só pode ser resolvida pelo agravamento da exploração que só é possível com a criação de novas condições políticas de uma ainda maior subjugação e opressão dos povos. É isso o que está em curso no nosso país. É a isso que os trabalhadores portugueses e todos os democratas e patriotas se têm de opor e se estão, de uma forma ou outra, a opor.

Trata-se de uma guerra, de uma guerra de classes, e as guerras não são apenas para se combaterem, são para serem ganhas. É preciso meios e forças suficientes. É preciso uma estratégia e uma táctica adequadas. É preciso infligir pesadas derrotas ao inimigo. Desde já nas próximas eleições europeias. Todos os esforços de unidade das forças democráticas e patrióticas são necessários, na base, é claro, de um programa mínimo que quebre as correntes da opressão! É nesse sentido, no sentido da unidade, que apontamos: TODOS À RUA na marcha convocada pela CGTP

 

NÃO PAGAMOS!

 

TRÓICA FORA DE PORTUGAL!

INDEPENDÊNCIA NACIONAL!

 

CAVACO E GOVERNO DE TRAIÇÃO NACIONAL, RUA!

GOVERNO DEMOCRÁTICO PATRIÓTICO!

 

LUTA, UNIDADE, VITÓRIA!

 

O POVO VENCERÁ!

27 de Fevereiro de 2014

Com. Norte da linha sindical Luta-Unidade-Vitória

publicado por portopctp às 23:48
endereço do artigo | comentar | favorito
Sábado, 1 de Fevereiro de 2014

Um enorme embuste

Do Com. Norte da linha sindical LUTA - UNIDADE - VITÓRIA recebemos o comunicado de título "Um enorme embuste" que reproduzimos na íntegra:

Depois do enorme aumento de impostos sobre o trabalho, depois do enorme corte nos salários dos trabalhadores das empresas do Estado e dos funcionários, depois do enorme corte nas reformas e pensões, temos o enorme embuste.

Para Passos Coelho, Portas, Cavaco “estamos melhor” do que há dois anos e meio. Esquecem-se de dizer quem são os “nós” que “estamos melhor” fazendo crer que é todo o povo. Um único ponto é utilizado para esse alargamento do “nós”: a diminuição “sustentada” do desemprego cuja taxa oficial tem vindo a descer entre uma a duas décimas todos e cada um dos últimos 10 meses. Resta perguntar a cada um dos novos “empregados” se consideram ser de “emprego” a sua nova situação de frequência de “formações”, de “trabalho liberal” a recibos verdes, de estágio, ou outra situação precária…

Na realidade todo este desenvolvimento não passa de uma montagem: primeiro suspendeu-se todas as formações e todos os “programas” (que o anterior governo também utilizava para diminuir o desemprego) mandando para os números do desemprego algumas dezenas de milhares de desempregados; depois foi o “espanto” com esses números (aqui é que está a novidade do método do embuste e que enredou a oposição); a seguir o aproveitamento da sazonalidade para iniciar o processo de “diminuição” do desemprego; e finalmente a “criação” criativa de empregos: reiniciar gradualmente os cursos de formação, estágios e programas ocupacionais que anteriormente haviam sido suspensos a um ritmo que garante a diminuição mensal da taxa de desemprego 1 ou 2 décimas. Brilhante! … repugnante! Mas a utilização destes métodos só demonstra o desespero em que se encontram o governo e os seus apoiantes.

Os trabalhadores portugueses têm, no decurso dos últimos dois anos e meio, travado uma batalha, composta de inúmeros combates, contra esse governoa quem têm infligido derrotas importantes. Claro está que o governo de traição nacional Coelho/Portas, por mais derrotas e isolamento que sofra, não deixa de tentar levar a sua política terrorista avante, suportado que é pela potência germano-imperialista de quem recebe todo o apoio político e material.

O objectivo da nossa luta não é apenas obter, temporaria­mente (como se tem visto, por mais ou menos tempo, mas sempre, sob o sistema vigente, temporariamente…), melhores condições de vida e obstar ao agravamento do roubo do trabalho e dos salários que o governo quer progressivamente ir impondo. Hoje é claro para todos os trabalhadores portugueses que o objectivo da luta para quem trabalha passa, em primeiro lugar, por derrubar o governo.

Mas se o objectivo é esse, quando o governo tem a maioria parlamentar e o apoio incondicional do presidente da república, o ponto à volta do qual se devem organizar todos os combates, incluindo todas as manifestações, é a Greve Geral Nacional pelaresignação do presidente epelo derrubamento do governo para substituí-lo por um governo democrático patriótico que rejeite as imposições da tróica e lute pela independência nacional.

Ou seja, cada combate, cada manifestação, deve preparar e organizar os trabalhadores para a próxima Greve Geral Nacional.E a organização que é necessário forjar nas greves gerais que forem necessárias para derrubar o governo, é uma organização de aliança de todas as classes anti-imperialis-tas. Não são greves apenas dos trabalhadores por conta de outrem, são greves que paralisem totalmente o país envolvendo todas aquelas classes que este governo está a esmagar em subserviência ao imperialismo.

É dessa aliança que surgirá um governo democrático patrió­tico capaz de correr e julgar os corruptos e os vendidos, e que começará a sua governação pela medida de suspensão do paga­mento do chamado “serviço da dívida”, promoverá a saída do Euro e da UE, criando as condições para a libertação dos meios necessários ao desenvolvimento do país, e imediatamente reporá salários e pensões, e revogará as medidas anti-trabalhadores deste e dos anteriores governos.

Claro está que a batalha em curso pelo derrube deste governo, requer, mais que nunca, que a unidade que já existe quanto ao objectivo das lutas dos trabalhadores, se explicite em acções comuns e organização.

 

NÃO PAGAMOS!

 

TRÓICA FORA DE PORTUGAL!

INDEPENDÊNCIA NACIONAL!

 

CAVACO E GOVERNO DE TRAIÇÃO NACIONAL, RUA!

GOVERNO DEMOCRÁTICO PATRIÓTICO!

 

GREVE GERAL NACIONAL!

LUTA, UNIDADE, VITÓRIA!

 

O POVO VENCERÁ!

 

1 de Fevereiro de 2014

Com. Norte da linha sindical Luta-Unidade-Vitória

publicado por portopctp às 23:57
endereço do artigo | comentar | favorito

artigos recentes

O 1.º de Maio é dia de lu...

Outra democracia!

Viva a COMUNA!

Viva o 8 de Março!

Viva o PCTP/MRPP!

Viva o comunismo!

Honra a Ribeiro Santos!

Viva o comunismo!

VIVA O 1º DE MAIO!

A luta da mulher pela sua...

TRABALHADORES DA SOARES D...

VIVA O COMUNISMO!

Conferência de Imprensa

1.º de MAIO é dia de LUTA...

Democracia para o Povo!

E assim está bem!

Honra aos camaradas Ribei...

Viva o Partido!

As razões para Portugal S...

Uma aula aberta

SAIR DO EURO!

Saída do euro, porquê?

A envolvente repressiva/s...

8 de Março no Porto

Viva a comuna!

Casino da Póvoa de Varzim...

Opor barreira ao avanço d...

Um enorme embuste

Três pontos apenas

ENVC: Não basta lutar É p...

Casino da Póvoa de Varzim...

VIVA O PARTIDO!

MANIFESTO contra a morte ...

ENVC: A necessidade de pa...

9 de Novembro: trabalhado...

Viva o comunismo!

Cavaco e governo, RUA!

Derrubar o governo!

Primeiro passo: derrubar ...

Mais democracia e control...

PLENO EMPREGO, apenas uma...

Habitação: um direito fun...

Transportes: um nó górdio...

Semanário de Felgueiras, ...

O Golpe de Estado de Cava...

Greve Geral de 27 de Junh...

CASINO DA PÓVOA - Subsídi...

ENVC - chegou chapa, mas ...

A vitória está ao alcance...

É POSSÍVEL!

Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar neste blogue

 

mais sobre nós

deixe uma mensagem

escreva aqui

arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Maio 2016

Março 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

visitas a partir de 28 de Novembro de 2013

contador

artigos sobre

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds